Situações da vida real  -  O primeiro diagnóstico de hipertensão

Situações da vida real - O primeiro diagnóstico de hipertensão

“Doutor, acabo de fazer uma consulta com um médico e ele diagnosticou que estou hipertensa. Será possível numa primeira consulta já sair com o diagnóstico estabelecido? Devo aceitar esse diagnóstico, e tomar o remédio que ele me prescreveu?”

Vamos às respostas:

O diagnóstico de pressão alta, geralmente, exige ao menos duas consultas. Isso é o que recomendam as várias diretrizes nacionais e internacionais. Além disso, muitas vezes é necessário que medidas suplementares sejam realizadas fora do ambiente de consultório. As automedidas ajudam bastante, afastando duas situações bastante comuns denominadas: hipertensão do avental branco e hipertensão mascarada.

No entanto, o diagnóstico de pressão alta (definitivo), pode necessitar de informações adicionais do comportamentos dos denominados órgãos alvo da doença. Os principais são: o coração, o cérebro, os rins e especialmente os vasos do fundo dos olhos.

Sendo assim, numa pessoa com pressão arterial elevada, a descoberta dessas lesões praticamente fecham o dignóstico, sem a necessidade de avaliações adicionais em outras consultas.

Até mesmo, já pode estar indicado o tratamento com remédios para corrigir os valores de pressão arterial alterados, e também consertar as agressões aos órgãos alvo que foram detectadas.

O importante é seguir a orientação do médico que fez o diagnóstico de hipertensão já estabelecida, e correr atrás do prejuizo porque essa possibilidade é concreta com o uso de medicamentos indicados.

Não esquecer que o uso de qualquer medicamento não descarta a necessidade de medidas ditas como de mudanças no estilo de vida: diminuição do consumo de sal adicionado e de alimentos ricos em sal (enlatados, embutidos e conservas); aumentar o consumo de frutas verduras, legumes e hortaliças; perder peso; vencer o sedentarismo; e, diminuir o consumo de bebidas alcoólicas.

Marco Mota      
(CRM 718 – AL) Professor Titular de Cardiologia da Faculdade de Medicina da UNCISAL

Voltar à vista geral